12/01/2019 - 11h52

Cartaxo concede 11% de aumento na tarifa de ônibus quando inflação foi de apenas 3,75%

Por Flávio Lúcio

O teatro é conhecido. Os empresários do transporte público anunciam estudos “técnicos” para reivindicarem um percentual de reajuste no preço das passagens.

Em seguida, o Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de João Pessoa começa seus próprios “estudos” e, seguindo o roteiro, chega a outro valor, sempre abaixo do reivindicado pelos empresários.

O percentual é aprovado em reunião pelos conselheiros, que estão lá apenas para balançarem suas cabeças em aprovação ao relatório apresentado, com a exceção – quando há! – de algumas entidades estudantis (quando eu era estudante, uma representante estudantil que votasse favorável a aumento nas passagens seria degolado em praça pública).

Dependendo do calendário eleitoral, o prefeito e o Conselho mudam de atitude em relação aos percentuais de aumento.

Notem as diferenças de atitudes de Luciano Cartaxo no tratamento dado às discussão sobre os percentuais de reajuste em ano pré-eleitoral. Em janeiro de 2017, o percentual autorizado pelo prefeito para aumento das passagens foi de 6,6%, para uma inflação oficial de 6,29% em 2016. O preço das passagens foi de R$ 3,00 para R$ 3,20.

A divergência entre empresários e Prefeitura foi parar na justiça, a quem o Sindicato dos Transportes Urbanos de João Pessoa (Sintur-JP) recorreu para conseguir o percentual pretendido.

A juíza Flávia da Costa Lins Cavalcanti foi convencida de que o aumento concedido pelo prefeito não “cobria os custos do setor” e decidiu por uma “adequação” no preço das passagens de R$ 3,20 para R$ 3,30, mais 3%. A PMJP chegou a recorrer, mas o desembargador do TJ, João Benedito, manteve a decisão da juíza. Isso em outubro.

Três meses depois, em janeiro de 2018, o prefeito autorizou novo reajuste e a passagem subiu para R$ 3,55. Os empresários pediram 10%, o prefeito autorizou 7%, mas dessa vez não houve maiores divergências.

Em janeiro de 2019, entretanto, depois da eleição em que Luciano Cartaxo sofreu uma derrota eleitoral de grandes proporções, o prefeito autorizou um aumento de 11%, para uma inflação oficial (IPCA) de 3,75% em 2018.

Ou Cartaxo entregou os pontos ou está antecipando aumento para evitar desgaste em 2020.

E 2020 é ano de eleição.

Comentários