27/04/2019 - 12h38

RC no hangar do governo: a escandalização da irrelevância

Por Flávio Lúcio

Ricardo Coutinho retornava de Brasília, para onde havia se deslocado para participar de uma reunião do PSB que debateu e ratificou a posição do partido contrária à reforma da previdência.

Ele tinha a companhia de dois secretários de estado. Ao aterrissar no aeroporto Castro Pinto, os dois secretários precisaram ir ao hangar do governo do estado para assinar documentos e RC os acompanhou.

Ao sair do hangar, o ex-governador e os dois secretários foram retirados do local em uma caminhonete da Infraero para que pudessem se dirigir ao estacionamento do aeroporto.

Agora, releia o texto e tente encontrar alguma irregularidade que justifique a tentativa de transformar o que foi narrado acima em um escândalo.

Encontrou? Certamente que não, porque não existe. Mas, como se trata de Ricardo Coutinho, os seus opositores aqui na Paraíba tentam repetir a mesma receita que aplicaram no plano nacional contra o ex-presidente Lula, e tentam escandalizar até fatos banais.

Imagine de fosse um cidadão qualquer envolvido no episódio. Ele estaria cometendo alguma irregularidade caso acompanhasse, a convite, um secretário de estado ao hangar do governo da Paraíba? Existe alguma lei ou determinação do governo que proíba isso?

Ninguém se prestaria a filmá-lo por conta da irrelevância da cena (veja abaixo o vídeo).

Sobre ser transportado num veículo da Infraero, eu lembro que essa empresa pertence ao governo federal, e não me consta que o presidente Jair Bolsonaro permitiria “regalias” a um opositor como Ricardo Coutinho.

Só o idiotismo da oposição paraibana e de parte do sua imprensa se deixa conduzir pelo bolsonarismo, um movimento que está em franca decadência e perdendo cada vez mais apoio na sociedade.

Só esse idiotismo, associado ao ressentimento pela sucessão de derrotas que Ricardo Coutinho lhe impôs, explica porque a oposição na Paraíba se deixa confundir com o bolsonarismo − eles esquecem que Bolsonaro levou uma surra na eleição presidencial aqui na Paraíba?

Sem voto, resta a essa oposição apelar ao golpismo. Por isso, ela tenta repetir os movimentos que levaram ao impeachment de Dilma e à prisão de Lula.

Clique aqui para ler a nota que parece ter recolocado Ricardo Coutinho de volta ao campo de batalha da política paraibana.

Já não era sem tempo.

Comentários