15/05/2019 - 09h52

João Azevedo era “completamente diferente” de Ricardo cinco meses atrás?

Por Flávio Lúcio

Soou no mínimo estranho o esforço feito por João Azevedo para se diferenciar de Ricardo Coutinho, exatamente daquele que é o principal responsável por ele estar hoje sentado na cadeira de governador. As declarações foram dadas durante entrevista concedida na noite da última segunda (13) ao jornalista Heron Cid, da TV Arapuã.

“Eu sou completamente diferente de Ricardo. Ele tem um estilo de fazer política e de fazer gestão,” disse o atual governador da Paraíba.

E completou: “Eu tenho esse estilo, na forma de pensar e agir, diferente dele. Sou muito mais tranquilo e reservado naquilo que me cabe como gestor. Tenho um compromisso grande com a Paraíba e minha missão é governar a Paraíba da melhor maneira possível. Eu não tenho preocupação com holofotes”.

Para quem, não faz cinco meses, dizia que era candidato para dar continuidade à obra administrativa que Ricardo empreendeu na Paraíba durante os últimos oito anos, parece que estamos diante de uma mudança e tanto.

Quando Ricardo Coutinho aparecia no guia eleitoral para convencer o eleitor paraibano a votar em João Azevedo porque ele representava, naquela eleição, a continuidade do projeto político e administrativo inaugurado na Paraíba por RC, o atual governador fazia questão de acentuar sua identidade, e não suas diferenças com o então governador.

Ricardo segurou a mão do desconhecido João e caminhou com ele por todo o estado para apresentá-lo ao eleitorado com um sintético, mas poderoso argumento: “Confiem em nós, confiem no nosso projeto político-administrativo”.

E o eleitor compreendeu e atendeu Ricardo, derrotando novamente, e, dessa vez, duplamente, os projetos familiares que fazem muita zoada, mas têm pouco voto na Paraíba. Lembremoa que muitos dos mesmos que hoje começam a bajular João Azevedo, troçavam de sua candidatura, afirmando que ela era inviável eleitoralmente, e que JA não iria sequer à disputa.

E teria sido assim mesmo não fosse a liderança de Ricardo Coutinho, que se manifestou com toda força durante a campanha, resultando num feito político extraordinário que foi a vitória do candidato do PSB já no primeiro turno. Até nisso RC parece repetir Lula? Talvez com a diferença que Dilma foi capaz de manter sua lealdade ao ex-presidente, mesmo diante das situações mais difíceis como as que a ex-presidente viveu.

Acentuar agora as diferenças, menos de 5 meses depois em que fazia exatamente o contrário, soa quase como um dos tantos estelionatos eleitorais que o brasileiro está cansado de vivenciar. Porque, convenhamos, qual o significado político dos termos “completamente diferente” usado pelo atual governador para se referir a uma comparação nada sutil com Ricardo Coutinho?

E porque João Azevedo escolheu dar declarações tão bombásticas a Heron Cid e na TV Arapuã? Em política,  como gosto de repetir, nada disso é por acaso.

Espero que a Paraiba não esteja assistindo à pavimentação, por parte de João Azevedo, do caminho sobre o qual ele pretende caminhar  até  o rompimento político com Ricardo Coutinho, o que, considerando as mais torpes de nossas tradições – sobretudo, em razão de conhecer quem hoje cerca o atual governador, – não seria nenhuma novidade.

Novidade mesmo é se acontecer tão cedo.

Comentários