03/06/2019 - 12h37

João Azevedo e Ricardo Coutinho, juntos, frustram viúvas do cassismo

Por Flávio Lúcio

João Azevedo e Ricardo Coutinho deram mais que um recado a quem torcia − alguns quase em frenesi − pelo rompimento entre os dois.

Não só por terem entrado e saído juntos da última reunião do Orçamento Democrático, realizada no último sábado, em João Pessoa. Sentado ao lado de João Azevedo, Ricardo também deu seu recado à numerosa plateia e à imprensa presentes ao evento.

Foi uma demonstração e tanto de que os dois devem ter mais visões em comum a aproximá-los do que diferenças a afastá-los. Sobretudo porque aconteceu durante uma plenária do Orçamento Democrático, uma das meninas dos olhos da administração de Ricardo Coutinho.

“Em nenhum outro estado do Brasil o povo se reúne para cuidar da política ao lado do governo. Isso é histórico, principalmente neste momento em que vive o País. Tão importante quanto uma obra é a alma deste orçamento e a força popular. Parabenizo ao governador João Azevedo pela condução desse processo. É por isso que, hoje, aqui no Espaço Cultural, tivemos a maior plenária da história de João Pessoa e de todo o Orçamento Democrático. Demonstração de que esse projeto é em nome do povo e para o povo”, disse Ricardo Coutinho quando discursou para os milhares de delgados que enchiam a Praça do Povo, do Espaço Cultural.

João Azevedo respondeu na mesma toada.

Ricardo mostrou ao longo do tempo a forma de fazer política e de se fazer gestão, tornando esse Estado diferente. Hoje os olhares são diferenciados e acima de tudo com respeito. Nós não vamos perder nada daquilo que construímos ao longo de todo esse tempo.”

Ao mencionar eventuais diferenças, “olhares”, João Azevedo se esforça em demarcar suas diferenças, que existem e são naturais que existam, afinal, os dois não são a mesmo pessoa. Mais importante do que isso, no entanto, é o governador ressaltar que o mais importante é o rumo, são os objetivos do governo, da administração pública em um estado como a Paraíba, é o compromisso com a continuidade de um projeto que, gestado por Ricardo Coutinho, teve – e tem – em João Azevedo figura de proa para efetivá-lo.

Ou seja, no que importa, João Azevedo deixa claro que, agora sob sua liderança, ele continua plenamente alinhado ao projeto político e administrativo que o levou à cadeira de governador.

Para a tristeza da viúvas do cassismo. Na política e na mídia.

Comentários