30/07/2019 - 14h19

Gervásio Maia desmascara esperança de Ruy Carneiro na Operação Calvário: “se for para o voto, perde.”

Por Flávio Lúcio

Quando partidos políticos, parlamentares e prefeitos dizem, como se fosse uma banalidade, que suas estratégias eleitorais dependem de ações do Ministério Publico Federal e da Justiça é porque alguma coisa val de mal a pior com as nossas instituições.

Durante entrevista concedida, ontem (29/07), ao programa Frente a Frente, da TV Arapuã, o deputado federal do PSDB e um dos possíveis candidatos a prefeito de João Pessoa pelo grupo de Luciano Cartaxo, Ruy Carneiro, declarou o seguinte:

“A Paraíba está no compasso de espera do que vai acontecer na operação [Calvário]. A oposição está parada. Todo mundo está assistindo o estrago que vai acontecer”.

O que o deputado quer dizer quando revela ao vivo que está “assistindo o estrago que vai [sic] acontecer”? Ruy Carneiro tem informações privilegias sobre o futuro da Operação Calvário? Ele diz isso por que é tucano?

Ao lado de Ruy Carneiro estava o também deputado federal, pelo PSB, Gervásio Maia, que retrucou em seguida. “Esse pessoal tem que torcer por isso mesmo, porque se for para o voto perde”. Ou seja, para vencer hoje uma eleição na Paraíba, a oposição depende não de ganhar o voto da maioria, mas de ajudas, digamos, “externas”.

Gervásio lembrou um fato importantíssimo na discussão sobre os fatos que levaram à Operação Calvário, e que propositadamente políticos e jornalistas alinhados ao cartaxo-cassismo omitem:

“Eu lembro que quando Cássio era governador o hospital de trauma vivia um caos. Isso era a pauta na Assembleia [Legislativa], além de outros casos, como a segurança pública. O carro pegava no empurrão, a arma não tinha bala. Era um abandono total. Mas vão ficar só na torcida. A produção foi gigantesca. Evidentemente que se alguém errou, que pague pelo erro cometido”.

Ruy mais do que ninguém sabe como foram os verões passados, quando Cássio mandava na Paraíba.

Comentários