18/09/2019 - 19h45

Aguinaldo Ribeiro com João Azevedo: a velha política está de volta ao Governo da Paraíba

Por Flávio Lúcio

O prefeito de Cajazeiras, José Aldemir, confirmou hoje o que antes era tratado apenas ao pé do ouvido com aliados próximos. Ele e a família Ribeiro estão de mala-e-cuia prontos para entrar no governo de João Azevedo. E tendo como um dos padrinhos o Jeová Campos.

Aldemir foi do PMDB cassista, voou para o PSB ao lado de Ricardo Barbosa, de onde saiu para o PFL – depois DEM – de Efraim Moraes. Desde 2016, Aldemir pertence aos quadros PP dos irmãos Daniela e Aguinaldo Ribeiro. Na eleição de 2016, Zé Aldemir elegeu a esposa, Drª Paula, para a Assembleia Legislativa.

Trata-se, portanto, de um modelo muito bem acabado do político tradicional paraibano.

Zé Aldemir, o prefeito, e Drª Paula, a esposa deputada

Dr.ª Paula e seu esposo eram de oposição ao governo estadual até a semana passada. Isso até sentirem o cheiro da oportunidades de aderir ao governismo, o que não conseguiram ao longo dos anos em que Ricardo Coutinho governou a Paraíba.

Nos últimos dias, Dr.ª Paula passou a reconhecer qualidades antes desconhecidas em João Azevedo e passou a tratar o governador como um “estadista.

“As pessoas que estão incomodadas ficam criando factoides. E nós não temos o que dizer de um governo agregador. Enquanto o outro (Ricardo Coutinho) se preocupa em afastar e destruir, o atual governador se preocupa em agregar. Essa é a diferença!”, disse a deputada.

Em política, é sempre importante entender o sentido prático de determinadas expressões. Agregador é uma delas. Nunca nenhuma liderança foi tão desprezada como Ricardo Coutinho por políticos tradicionais como Zé Aldemir. Notem que os termos preferidos para designar RC são: ditador, desagregador, e, sobretudo, alguém que não “dialoga”, e diálogo tem um sentido muito preciso para essa turma.

Por outro lado, também é fundamental entender os motivos para mudanças tão repentinas, como as verificadas em muitos políticos paraibanos na relação com o atual governador João Azevedo, transformado por eles numa espécie de semideus da política, ao passo que Ricardo é tratado como seu oposto.

Afinal de contas, não faz muito, Zé Aldemir e Dr.ª Paula pediam votos para Lucélio Cartaxo, Cássio Cunha Lima, Daniela e Aguinaldo Ribeiro, que compuseram uma chapa de oposição na última eleição.

Durante entrevista concedida hoje ao programa Boca Quente, da Difusora Rádio Cajazeiras, além de dizer que administra Cajazeiras “sob o comando de Deus” e que seu governo é “instrumento Dele“, reconheceu que João Azevedo é “diferente, muito diferente do seu antecessor”. Segundo Ademir, Ricardo Coutinho nunca deu a oportunidade de que um secretário “pensar por ele”.

Recebemos o deputado Jeová Vieira Campos e o deputado Branco Mendes na nossa casa, fando cumprir [os dois] uma missão delegada pelo governador para que pudéssemos conversar para fazermos parte da base do governo. (…) Galego de Sousa [também do PP] foi abordado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino”. Após revelar esses contatos, Aldemir manifestou sua lealdade a Aguinaldo Ribeiro. (Ouça áudio abaixo)

Enfim, como prevíamos, as discordâncias de João Azevedo com Ricardo Coutinho sobre o PSB eram apenas a justificativa para uma ampla mudança de rumos, que inclui uma aproximação com o governo Bolsonaro.

A velha política está de volta ao Governo da Paraíba.

Comentários