01/10/2019 - 19h31

O PSB presidido por Edvaldo Rosas não era aquela Brastemp

Por Flávio Lúcio

Parece que o PSB presidido por Edvaldo Rosas não era um primor de organização. Nos balanços divulgados por Rosas, o partido estava em quase todos os municípios paraibanos.

Não é bem assim, entretanto. Segundo números divulgados em nota pela Comissão Provisória do PSB da Paraíba, mesmo o partido tendo governado a Paraíba nos últimos oito anos, mesmo sendo o partido do atual governador, de um senador, um deputado federal, oito deputados estaduais, 52 prefeitos e 339 vereadores em todo o estado, o PSB só tem 12 diretórios e 32 comissões provisórias municipais.

Ou seja, o PSB tem mais prefeitos que a soma de diretórios e comissões provisórias, o que é um forte indício de desorganização, burocratização e apatia.

E uma prova de que a força adquirida pelo partido nos últimos anos decorria, senão exclusivamente, mas com o peso decisivo da liderança de Ricardo Coutinho  além da força de atração do governo do estado.

Ou seja, Edvaldo Rosas sempre foi um burocrata, e mesmo assim sem muito brilho organizativo. Um partido com a tradição do PSB e entranhado, desde que RC entrou no partido, em 2003, numa base social mais crítica e organizada, tem de ter vida orgânica.

Esse é o desafio de Ricardo Coutinho. Fazer o PSB recuperar essa tradição e preparar o partido para os embates futuros, e não apenas eleitorais.

Abaixo,  a nota do PSB divulgada hoje.

NOTA DO PSB

Ao assumirmos o PSB com o objetivo de reestruturá-lo e melhor preparar os nossos candidatos para a campanha política que se avizinha, adotamos como primeiro passo tomar conhecimento da real condição organizativa que o partido se encontrava.

Ao contrário do que foi anunciado amplamente pela mídia, que o partido estaria estruturado em mais de 200 municípios, não passamos de 32 comissões provisórias e 12 diretórios. Uma discrepância de mais de 179 comissões e/ou diretórios nos 223 municípios da Paraíba.

Este quadro revela um Partido sem vida orgânica, sem reuniões e, ao mesmo tempo, se contrapõe, sobretudo, ao real crescimento político das representações partidárias que, em função da aprovação da gestão do PSB na Paraíba nos últimos 8 anos (2011 a 2018), elegeu sob sua legenda 1 governador, 1 senador, 1 deputado federal, 8 deputados estaduais, 52 prefeitos, 339 vereadores, além dos 5 deputados federais e 14 estaduais coligados, todos neste último pleito.

Por fim, cuidaremos da reestruturação partidária, considerando o calendário eleitoral e a correlação de forças políticas estabelecidas no estado.

Seguiremos avançando com o projeto que mudou a Paraíba em suas ações estruturantes, como a democratização do orçamento público, a qualificação e interiorização das políticas públicas – saúde, educação, segurança pública, assistência, e que dentre muitas outras coisas consolidou a participação popular.

Permaneceremos comprometidos com as diretrizes socialistas em defesa do estado democrático de direito e bem estar social, ampliando o conhecimento do território paraibano, fortalecendo as lideranças locais e retomando o caminho que dá sentido a radicalização democrática e a participação popular como processo de transformação política e de inclusão social.

Diante do exposto, afirmamos que não abriremos mão do compromisso com nosso Partido e saberemos defendê-lo daqueles que se pautam em seus próprios interesses pessoais sem compromisso com a causa socialista e partidária.

Seguiremos juntos com o governo que elegemos, somando esforços na defesa do projeto que construímos através de nossas bandeiras de lutas históricas, com a participação efetiva dos filiados que estiveram nas ruas garantindo a vitória e a continuidade das mudanças conquistadas e reafirmadas pelo povo paraibano.

Comissão Provisória PSB – PB

João Pessoa, 01 de outubro de 2019

Comentários