06/11/2019 - 12h13

Câmara de Vereadores de Bayeux paga P$ 17 Mil por pintura do prédio

Por Flávio Lúcio

O poder legislativo de alguns municípios paraibanos têm sido fonte de grandes crises recentes, seja em disputas com prefeitos, seja se associando a eles para capturarem o orçamento municipal.

E os municípios da região metropolitana de João Pessoa são bons exemplos do que afirmo acima.

Cabedelo é um bom exemplo do segundo caso. De acordo com as investigações da Operação Xeque-Mate, os fatos ocorridos na administração do ex-prefeito de Cabedelo, Leto Vianna, mostram até onde pode ir a promiscuidade das relações entre uma maioria de vereadores disposta a negociar os interesses da própria cidade e do povo que dizem representar, e um prefeito disposto a tudo para submetê-los ao jugo de um poderoso empresário.

E os acontecimentos que levaram ao afastamento do ex-prefeito de Santa Rita durante a última administração de Reginaldo Pereira exprimem bem como os vereadores do município usaram seu poder para emparedar o então administrador municipal.

Em explícita aliança com vice-prefeito de então, Netinho de Várzea Nova, e com amplo apoio de alguns setores da nossa imprensa, sobretudo de alguns conhecidos radialistas pessoenses, conquistado Deus sabe como, produziu-se uma escandalização com o objetivo de afastar Reginaldo Pereira do mandato conquistado por ele nas urnas.

Ontem, 11 dos 19 vereadores que compõem a Câmara de Santa Rita foram presos. Eles voltavam de Gramado/RS onde, segundo a justificativa do grupo, tinham ido participar de um “seminário”

De acordo com o delegado Allan Terruel, a operação teve início após o Ministério Público suspeitar da viagem dos vereadores, que usaram um seminário como justificativa para a ida a Gramado. Só com diárias foi pago a bagatela de quase R$ 70 mil reais em diárias, recursos da Câmara de Vereadores. Ao longo do ano, os gastos com diárias chegam a R$ 507 mil reais, segundo as investigações do Ministério Público.

A VEZ DE BAYEUX: CÂMARA DE VEREADORES DE BAYEUX PAGA P$ 17 MIL EM PINTURA DO PRÉDIO

Bayeux teve também seus dias de “glória”. O prefeito atual da cidade, o radialista Berg Lima (PTN), foi eleito prometendo renovação política e administrativa. Alguns meses depois de tomar posse, Berg Lima foi preso em flagrante extorquindo um empresário cuja empresa prestava serviço à prefeitura.

Como ficou demonstrado depois, o vice-prefeito Luiz Antônio (PSDB) participou diretamente de uma conspiração que tinha o objetivo de afastar do cargo o titular do mandato. Para tanto, Luiz Antônio procurou empresários para arrecadar fundos destinados a pagar a divulgação do vazamento do vídeo em que Berg Lima aparece extorquindo e empresário.

Berg Lima foi para a prisão e Luiz Antônio foi cassado pela Câmara por conta do vídeo acima.

Ontem, o blog teve acesso ao documento abaixo. Refere-se ao empenho, de 2 de setembro de 2019, que autoriza o pagamento de R$ 17.000,00 por serviços com a pintura do prédio do onde funciona o parlamento da cidade. Detalhe: com dispensa de licitação.

Chamou nossa atenção que esse valor tenha sido gasto para pintar uma edificação de mais ou menos 25m X 20m².

Pelo visto, o problema não está apenas no turismo pago com dinheiro público para os vereadores de Santa Rita. É muito mais embaixo.

Comentários