27/11/2019 - 10h40

Exoneração de Fábio Maia consolida rompimento de João Azevedo com Ricardo Coutinho

Por Flávio Lúcio

João Azevedo resolveu mostrar de vez as faces da traição e assumir publicamente o rompimento com Ricardo Coutinho, que foi o principal responsável pela eleição do atual governador.

A exoneração de Fábio Maia da Secretaria Executiva de Planejamento é um daquele fatos cujo simbolismo não pode mais deixar dúvidas sobre as intenções do atual governador em relação a Ricardo Coutinho. Fábio Maia em momento algum deixou de explicitar sua lealdade ao ex-governador, com demonstrações públicas de afinidade.

E é uma demonstração para acabar com as ilusões dos que ainda cultivavam a vã esperança de uma mudança de posição de João Azevedo, que se muda de mala-e-cuia para outras paragens, para a companhia da velharia política que o povo da Paraíba imaginou estar, aos poucos, se livrando.

É sempre bom registrar que Fábio Maia foi um dos mais ativos entusiastas da candidatura de João Azevedo ao governo na eleição passada, mas ele não foi a primeira vítima desse tipo de mesquinharia. Nem provavelmente será a última. Waldson Sousa foi o coordenador-geral da vitoriosa campanha de 2018 e foi um dos primeiros a serem deixados pelo caminho por João Azevedo.

Que a Paraíba saiba que não apenas Ricardo Coutinho, o PSB e todo o campo progressista que em 2018 foi às ruas para eleger João Azevedo foram traídos. Todo o povo paraibano é vítima dessa traição, os que foram que foi às urnas para dizer um sim à consolidação dos avanços conquistados nos últimos oito anos, e um não ao passado, que volta ao poder agora pelas mãos de João Azevedo.

As lições da experiências calam fundo na alma do povo. E dessa traição ele jamais esquecerá.

Abaixo, a carta de Fábio Maia escreveu após saber da exoneração.

Nunca precisei de cargos para ter meus posicionamentos políticos e ideológicos

Eu tenho convicção de que a vida é feita de escolhas e de consequências decorrente destas. Fiz a minha e faria de novo quantas vezes fossem necessárias.

Fiz parte da gestão do PSB que transformou a história desse Estado, participando da construção e execução de projetos que transformaram a Paraíba e a vida dos Paraibanos, e que deram, inclusive, destaque nacional ficando a Paraíba entre os 10(dez) estados brasileiros no Prêmio Excelência em Competitividade por dois anos seguidos.

Eu sempre estive pronto para o que fosse necessário ideologicamente no PSB. Ao lado da maior liderança política da Paraíba, o ex-governador Ricardo Coutinho e outros companheiros comprometidos com a causa e não com cargos, transformamos um cenário histórico de descaso e desrespeito com o povo numa realidade em que o poder fosse compartilhado com os paraibanos e paraibanas, através de uma gestão ousada, participativa, inclusiva e atuante que teve sempre as políticas públicas afirmativas como norte.

Foi esta gestão exitosa que teve papel determinante para que o povo da Paraíba votasse na continuidade do projeto do PSB em 2018. No entanto, essa parte decisiva da história tornou-se uma amnésia daqueles que de fato defendem outros horizontes e, principalmente, interesses pessoais e não republicanos.

Nunca precisei de cargos para ter meus posicionamentos políticos e ideológicos. Construí minha trajetória na base sólida das lutas, movimentos sociais e sindicais. Prefiro a dúvida momentânea do que vivemos a certezas que eles pensam que têm.

Estou do lado certo e das pessoas corretas. Aos companheiros de estrada, de luta e semeadores de dias melhores, nos encontraremos nas caminhadas futuras das ruas. Não teria como fazer outra escolha, pois preciso dormir tranquilo, andar com a espinha ereta, o peito aberto e a consciência tranquila.

“Eu Passarinho, eles Passarão”.

Adelante!

Fábio Maia

Comentários